Alunos da Fundação Rede Amazônica fazem visita técnica a TV Acrítica.

Adriano Castro, Marluce, Baby Rizzato, Camila Baranda, Ricardo Lins e Brunno Sicsú

No último sábado, 15 de agosto de 2009, alunos da turma de produção, locução e apresentação de rádio e televisão dos turnos matutino e noturno acompanharam a produção do Programa "Nosso Encontro", apresentado por Baby Rizzato e transmitido pela TV Acrítica.

 

Alunos e o produtor e diretor do programa Kid Mahall      Mesa de cortes de câmeras e operação de caracteres

Os alunos Brunno Sicsú, Camila Baranda, Marluce e Adriano Castro foram recebidos pelo produtor e diretor do programa, Kid Mahall, que mostrou aos alunos as dependências da TV. Os estudantes de comunicação acompanharam a transmissão do programa através do estúdio e da sala de master (onde acontece a operação e cortes de câmeras, áudio e vts).

    

Mesa de operação de áudio                                            Mesa de master

Ao final do programa, Baby Rizzato agradeceu a visita dos alunos que estavam sob a supervisão do professor Ricardo Lins e colocou-se a disposição para ajudar no que for preciso. Após a transmissão a apresentadora fez fotos com os visitantes.



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 19h25
_____________________________________________________




Invadimos a transmissão do Programa "Amazônia Agora"

Na última quinta-feira, 06 de agosto de 2009, invadimos a transmissão do programa "Amazônia Agora", apresentado pela linda Luana Borba. Na verdade faltava poucos minutos para o programa começar. Denise Ávila, Suelen Costa e eu (Adriano Castro) aproveitamos e registramos esse momento. Quero aproveitar e desejar muitas felicidades para você Luana Borba, que o sucesso continue sempre ao seu lado e que Deus te abençõe grandemente. Feliz aniversário, são os mais sinceros votos da Equipe do Blog dos Alunos de Comunicação da Fundação Rede Amazônica do ano de 2009. Parabéns!

Suelen Costa invadindo o Programa "Amazônia Agora"

Luana Borba e Denise Ávila

Luana Borba e Adriano Castro

 

Luana Borba sempre sorridente e Suelen Costa



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 00h42
_____________________________________________________




Kid Mahall fala de sua experiência profissional para alunos da Fundação Rede Amazônica.

 

Kid Mahall, produtor e diretor do programa "Nosso Encontro"

Alunos de Comunicação 2009 da Fundação Rede Amazônica receberam na manhã desta quarta-feira, 05 de agosto de 2009, o produtor e diretor Kid Mahall. O encontro aconteceu na tele sala de conferência do Sistema COC de Ensino, instalada na sede da Fundação. O produtor foi convidado pelo professor do Centro de Radiodifusão Ricardo Lins. O objetivo da palesta foi repassar aos estudantes a experiência profissional de Kid Mahall.

Kid Mahall iniciou a palestra expressando a gratidão ao ex-professor e amigo Ricardo Lins: "Como um bom caboclo fico todo feliz de estar aqui". O produtor falou de sua experiência como ator no teatro onde atuou na peça “A chegada de Lampião no inferno”, de Leandro Filho em 1982. Já em 1989, interpretou Raimundo em  “Raimundagem”. Kid participou ainda de espetáculos como: “Repiquete”, "Auto do Boi" e "Manaus La Belle Epoque". Durante 14 anos coordenou o Grupo de Teatro e Dança Massa, um grupo do bairro de São Jorge. Kid falou ainda que foi no teatro um dos momentos de maior dificuldade na vida profissional: "Já estava com um trabalho realizado pelo Grupo Massa e fui chamado para fazer um teste com Chico Cardoso e foi aí quando vi que não sabia muita coisa sobre o teatro. O Chico é mais didático, muito mais pedagógico. Fiquei constrangido e foi o que me fez parar de fazer teatro por quase dez anos". Kid falou também das dificuldades na TV: " Um dos momentos mais difícies e que até hoje eu enfrento é a concorrência desleal. Quando você alcança um certo patamar, quando você já tem um certo status, as pessoas querem sempre te superar e às vezes elas começam a inventar histórias que acabam denegrindo tua imagem. Só que o tempo é rei e com o tempo as coisas se resolvem".

Kid falando para o Blog

Kid Mahall mostrou vídeos dos personagens criados por ele como " Raimundo e Maria" e definiu a interpretação do Raimundo o momento mais marcacante da experiência como ator: "O Raimundo foi um marco". Já na televisão, um dos momentos de maior felicidade do produtor foi no programa especial em comemoração aos 25 anos do "Programa Nosso Encontro" - que foi ao ar do Teatro Amazonas - , apresentado por Baby Rizzato e transmitido pela TV A Crítica: "O momento mais feliz dentro do Nosso Encontro como diretor e produtor do programa foi quando a Baby disse: esse aqui é kid Mahall, meu produtor e espero que ele seja o último. Aquelas palavras trouxeram uma responsabilidade muito grande, mas o carinho e a gratidão também".

Para finalizar Kid Mahall deixou uma mensagem de incentivo aos estudades de comunicação: " Acho que a pessoa que trabalha com comunicação não trabalha para ela e sim para as outras pessoas. E poder ter a oportunidade de servir de bom exemplo para quem está chegando agora é ótimo, para mim é uma missão quase que realizada. Só espero que consigam aprender, levar para frente e repassar para as próximas gerações".



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 17h32
_____________________________________________________




Lançamento: História da Amazônia!

A Editora e Livraria Valer convida todos para o lançamento do livro História da Amazônia, do escritor Márcio Souza.

 

Márcio Souza, romancista, dramaturgo e ensaísta, nasceu em Manaus, no dia 4 de março de 1946. Um dos mais destacados ficcionistas brasileiros, sua obra está traduzida em vários idiomas. Aos 14 anos começa sua iniciação de escritor, no jornalismo, escrevendo crítica de cinema para o jornal O Trabalhista, de Manaus. Sua estréia como ficcionista aconteceu, em 1976, com a publicação do romance, Galvez, imperador do Acre. Firmou sua reputação como ficcionista, com a publicação de vários romances: Galvez, imperador do Acre; Mad Maria; A resistível ascensão do Boto Tucuxi; O fim do terceiro mundo, 1990. A partir de 1996, inicia a publicação de sua tetralogia, intitulada “Crônicas do Gão-Pará e Rio Negro”, da qual já publicou: Lealdade, Desordem e Revolta. No teatro, merecem destaque as peças: A paixão de Ajuricaba, A maravilhosa estória do sapo tarô-bequê e Dessana, Dessana.  Como ensaísta, escreveu alguns textos reveladores sobre a realidade amazônica: A expressão amazonense: do colonialismo ao neocolonialismo e O empate contra Chico Mendes. Seu livro de contos, Caligrafia de Deus, mereceu boa acolhida dos leitores. 

Quando? 01 de agosto de 2009

Horário? 10h (sábado)

Local? Livraria Valer. Av. Ramos Ferreira, 1195-Centro (ao lado da academia Shake Club)

Informações: 3635-1324



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 11h25
_____________________________________________________




Comissão do MEC quer desmembrar Jornalismo do departamento de Comunicação Social

Fonte:Redação Portal IMPRENSA

O curso de Jornalismo pode se desmembrar da área de Comunicação Social e se tornar uma graduação autônoma. A medida é pauta de sugestão do Ministério da Educação (MEC) ao Conselho Nacional de Educação. Caso o desmembramento seja aprovado, a graduação em Jornalismo se unirá a Cinema e Audiovisual, cursos que recentemente se desvincularam da área de Comunicação Social.

A discussão sobre o tema, iniciada em fevereiro deste ano, deve ter um parecer até um fim de 2009. De acordo com o chefe do departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Paraná (UFPR), João Somma, o desmembramento do curso se deve à posição do Ministério, que classificou o Jornalismo como uma das quatro posições fundamentais para a democracia do país, ao lado de Pedagocia, Direito e Medicina.

O professor acrescenta ainda que a discussão sobre o desmembramento do curso é anterior ao embate em torno da exigência do diploma. A informação é da Rádio CBN Curitiba.



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 20h37
_____________________________________________________




Senador junta 40 assinaturas para apresentar PEC que torna obrigatória exigência do diploma

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), que na última terça-feira (23) protocolou uma Proposta de Emenda à Constituição Federal (PEC) para tornar obrigatória a exigência do diploma de nível superior para o exercício da profissão de jornalista, já conseguiu juntar 40 assinaturas de apoio.

Geraldo Magela/Ag.Senado 
Antônio Carlos Valadares

Para poder apresentar o PEC, eram necessárias 27 assinaturas. Segundo a Agência Brasil, a proposta de Valadares torna obrigatório o diploma para exercer o Jornalismo, além de tornar facultativa a exigência do diploma para colaboradores.

"Com todo o respeito que tenho ao Supremo Tribunal Federal, foi uma decisão equivocada. O jornalista é um profissional cujo trabalho é reconhecido. É uma tradição a legitimidade. O Brasil não pode retroceder. Como um senador socialista, não poderia deixar de recolher as assinaturas e protocolar a PEC", declarou o senador.

Com o objetivo de aperfeiçoar o texto do PEC, Valadares ainda vai solicitar que o Senado realize audiências públicas na Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJ), com representantes de associações e federações de jornalistas e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), além de estudantes e jornalistas.

No dia 17 de junho, o Supremo Tribunal Federal (STF) revogou, por oito votos a um, a exigência do diploma de Jornalismo para o exercício da profissão.

Fonte: Portal Imprensa



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 17h21
_____________________________________________________




Presidente do SJPAM durante protesto na Ufam
Presidente do SJPAM durante protesto na Ufam

O Sindicato dos Jornalistas do Amazonas (SJPAM) e os estudantes de jornalismo das faculdades de Manaus (Uninorte, UniniltonLins, Unip, Ufam, Boas Novas e Martha Falcão) estão organizando um Ato Público para esta quinta-feira (25), a partir das 10 horas, em frente ao Fórum Henoch Reis, no bairro do Aleixo. A manifestação é um repúdio pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que votou pelo fim do Diploma de Jornalista em sessão realizada na quarta-feira passada (17). Por oito votos a um, o Supremo resolveu derrubar a obrigatoriedade do Diploma Superior de Jornalismo para o exercício da profissão.

De acordo com o presidente, em exercício, do Sindicato dos Jornalistas, Wilson Reis, a manifestação segue orientação da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) que decidiu dar prosseguimento à campanha em defesa do diploma, pela qualificação profissional e a favor da qualidade da informação.

“A Fenaj, em parceria com todos os sindicatos de jornalistas, faculdades e estudantes de jornalismo, está promovendo em todo o país atos públicos contra a decisão do STF, com a intenção de mostrar à sociedade a importância da formação de nível superior para poder exercer essa profissão, pois só assim a sociedade poderá receber informação de qualidade, tecnicamente correta e evitar qualquer tipo de manipulação e pressão do poder econômico”, afirmou Reis.
O dirigente sindical disse ainda que já existe no Congresso Nacional um movimento entre os parlamentares, principalmente na Câmara dos Deputados, que se articula para apresentar dentro das próximas semanas projetos de lei e Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que visem regulamentar a profissão, inclusive com a exigência do diploma superior de jornalista.
“A Fenaj e os sindicatos entendem que é dever e obrigação do Congresso Nacional elaborar leis, enquanto ao STF cabe fiscalizar se essas leis são inconstitucionais ou não, se ferem os preceitos e princípios observados na Carta Magna do país”, disse. “Esse movimento não significa que o Congresso irá reverter a decisão do Supremo. Pelo contrário, a idéia é criar uma nova lei que regulamente a nossa profissão”.
O ato público estava marcado para acontecer na terça-feira passada (23), mas devido ao período de provas nas faculdades foi transferido para amanhã (25). Durante a manifestação, os jornalistas e os estudantes prometem distribuir panfletos, fazer discursos e exibir faixas e cartazes em defesa do diploma. O protesto conta com o apoio da CUT Amazonas.

Fonte: Sindicato dos Jornalistas



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 13h14
_____________________________________________________




Turma de Comunicação 2009 realiza o primeiro Arraial da Fundação Rede Amazônica

                                                                                            Silvio Cezar

Aconteceu nesta terça-feira (23)  o "Arrasta pé da Fundação Rede Amazônica". O arraial começou por volta das 18h30 com muita música típica. O evento junino foi o primeiro realizado durante os 24 anos de atuação da Fundação Rede Amazônica na formação de profissionais, como disse com muita propriedade a coordenadora do Centro de Radiodifusão da Rede Amazônica Socorro Bruno: "Essa turma de 2009 já está dizendo que veio para ficar! É a primeira vez que nós temos um arraial produzido pelos alunos da Fundação Rede Amazônica. Estamos amando tudo! Locução, produção, edição, cinegrafia, tá todo mundo junto produzindo essa festa." A coordenadora reiterou o incentivo e o apoio por parte  da coordenação para os alunos que desejam desenvolver atividades extra-curso: " Nós sempre apoiamos todas as atividades dos nossos alunos. Incentivá-los é um dos nossos compromissos para que os alunos coloquem em prática todo o seu aprendizado".

Socorro Bruno, coordenadora do Centro de Radiodifusão           Silvio Cezar

Quem deu início as apresentações foi a quadrilha cômica Fuzileiros na Roça, do Conjunto Oswaldo Frota. Há mais de treze anos de existência, inúmeras apresentações no currículo e mais de cem pessoas entre dançarinos e coordenação. Fuzileiros na Roça animaram o público presente, dançando ritmos que iam do balé clássico ao funk. Marcelo de Souza, 27, contou como tudo começou: "Nós estávamos na oitava série quando fizemos uma festa para arrecadar dinheiro para a formatura. Tivemos a ideia de formar uma quadrilha, que na época fez muito sucesso. Desde então não paramos mais. A quadrilha deu certo e até hoje nos apresentamos em vários eventos." disse. A noite estava apenas começando quando o radialista Patrick Mota falou da importância do papel da Fundação Rede Amazônica e apresentou alguns alunos  às pessoas presentes. Em seguida a banda Escada sem Degraus fez sua apresentação com música ao vivo.

 Marcelo Souza, coordenador da quadrillha "Fuzileiros na Roça"          Silvio Cezar

É importante parabenizar a equipe do curso de Comunicação noturno, os idealizadores do evento. Uma equipe incansável, que não mediu esforços para a realização da festa. A aluna do curso de produção, Heveny Daniele, 24, foi quem comandou esse grupo: "As dificuldades foram muitas, integrar os alunos por questão de horário, trabalho. Além disso tivemos que correr atrás de patrocínio, brindes... Mas nós conseguimos superar tudo isso."  A aluna frizou a importância do que aprenderam em sala de aula para a organização e cobertura do evento: "As aulas de Relações Humanas, Produção de Pauta, Illuminação, Cinegrafia, todas as matérias, unindo um pouco de tudo, com o que aprendemos conseguimos engrandecer o trabalho."

Heveny Daniele, estudante de Produção                                 Silvio Cezar

Ex-alunos que hoje atuam no mercado de trabalho estiveram presentes no arraial, como a repórter Laura Lys, que relembrou seus momentos como aluna e definiu a Fundação como o melhor momento para aprender, errar tentando acertar, "O melhor momento é a Fundação Rede Amazônica, você pode fazer mil vídeos, mil passagens, mil narrações, e lá fora você não vai poder fazer mais de três, por exemplo. Fui muito feliz durante o curso, aproveitei tudo. Espero que vocês aproveitem também!" A repórter elogiou a iniciativa dos alunos: "O arraial está muito legal, está 10!" destacou.

   Laura Lys, ex aluna             Silvio Cezar

Turma Locução e Apresentação manhã                                          Silvio Cezar

Colaborou Denise Ávila.



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 12h02
_____________________________________________________




Senador vai protocolar PEC para tornar obrigatória exigência do diploma de Jornalismo

Na próxima terça-feira (23), o senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) vai protocolar uma Proposta de Emenda à Constituição Federal (PEC) para tornar obrigatória a exigência do diploma de nível superior para o exercício da profissão de jornalista. No dia 17 de junho, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pelo fim da exigência do diploma.

Site oficial
Antônio Carlos Valadares

Segundo o blog do jornalista Paulo Souza, o senador espera recolher as 27 assinaturas necessárias para a aprovação da PEC. "Com todo o respeito que tenho ao Supremo Tribunal Federal, foi uma decisão equivocada. O jornalista é um profissional cujo trabalho é reconhecido. É uma tradição a legitimidade. O Brasil não pode retroceder. Como um senador socialista, e junto com o vereador socialista Elber Filho, defensor dos jornalistas, não poderia deixar de recolher as assinaturas e protocolar a PEC", declarou o senador.

O deputado federal Eduardo Amorim (PSC-SE) prometeu apoio à iniciativa do senador quando ela chegar à Câmara dos Deputados. "Através de uma PEC mudaremos definitivamente este entendimento. O projeto deve existir nas duas Casas (Senado e Câmara) unificado e, não tenho dúvida que esta PEC será aprovada. Sou simpático a idéia da exigência do diploma para o exercício da profissão. É preciso qualificação porque assim torna a categoria muito mais forte e a sociedade sai ganhando com uma imprensa mais forte", afirmou o deputado.

Fonte: Portal Imprensa



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 18h57
_____________________________________________________




Oportunidade.

Atenção alunos de comunicação da Fundação Rede Amazônica!!

Acontecerá uma seleção para o Amazonsat, do grupo Rede Amazônica. Interessados devem entregar Currículum Vitae atualizado e com foto na secretaria do Centro de Radiodifusão, localizado na Praça Francisco Pereira, 149. Bola da Suframa. Falar com Marcella Mota.



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 18h25
_____________________________________________________




Jornalistas com diploma, SIM!

Por maioria, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta quarta-feira (17), que é inconstitucional a exigência do diploma de jornalismo e registro profissional no Ministério do Trabalho como condição para o exercício da profissão de jornalista. Para Gilmar Mendes, “o jornalismo e a liberdade de expressão são atividades que estão imbricadas por sua própria natureza e não podem ser pensados e tratados de forma separada”, disse. Cito aqui a fala do ministro por ter sido ele, como presidente da Corte e relator do Recurso Extraordinário (RE) 511961, o porta voz dessa decisão absurda que marca o retrocesso em toda a história do Jornalismo brasileiro. Quero dizer senhor Gilmar Mendes, e para todos que concordam se "beneficiam" desta decisão, que curso de jornalismo não é apenas para aprender linguagens e adaptações de textos para os diferentes meios, ou aprender  como se usar uma máquina fotográfica ou câmera de vídeo,  além disso, aprendemos o "Fazer Jornalístico", ganhamos embasamento em diversas áreas como assessoria de imprensa, atendimento à comunicação (rede) pública, jornalismo comunitário e terceiro setor, jornalismo de imagem, direito autoral, questões raciais e de gênero, demandas locais e sobre a América Latina (etc,etc,etc..). Quero dizer com isso, que não há mais tempo de contar com o aprendizado na prática, os tempos são outros e a graduação se faz necessária. Neste julgamento, o Supremo Tribunal Federal, por oito votos a um, fez cair por terra uma conquista de 40 anos dos jornalistas e da sociedade brasileira, tornando não obrigatória a exigência de diploma para exercício da profissão. Maioria no Supremo sim, minoria porém na esfera civil, profissional e acadêmica. Que paradoxo.

E, não. Não estou aqui negando o exercício, por mérito, de jornalistas como Arnaldo Jabor, Assis Chateaubriant, Boris Casoy, entre tantos outros, que levantam a bandeira apoiando a decisão do STF contra a obrigatoriedade do diploma, mas que exerceram e exercem a profissão por serem profissionais graduados (ambos em Direito), e não apenas por isso, mas por terem elevada capacidade intelectual e alto padrão cultural, feeling, vocação - e sobretudo por terem ralado muito nas redações - o que não justifica os discurso medíocre de aspirantes a jornalistas de hoje, que tomam esse nomes como exemplo para fugir da graduação, sem saber que é isso o que resta para reparar a falta de preparo e falta da base essencial no exercício da profissão.

Para os meus colegas, estudantes de jornalismo, e para àqueles que expiravam por essa graduação, quero lhes dizer que o STF não acabou com a obrigatoriedade do bom texto, bagagem cultural, apuração, credibilidade e qualificação, afinal de contas o que vale hoje é a formação, então peço a vocês que não desistam desse sonho!Não temam e nem sintam-se prejudicados por essa infeliz decisão em pauta. Não desistam e nem se deixem abater. Ao contrário disso, lutem, agora mais do que nunca, pelo seu espaço, afinal de contas você é ou será jornalista com diploma, SIM!



 - Postado por Denise Bianca às 20h28
_____________________________________________________




Algumas fotos das aulas de Fonoaudiologia por Silvio Cezar

   

  

 

    



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 15h51
_____________________________________________________




 

Acontece no próximo dia 23 de junho de 2009, o Arraial da Fundação Rede Amazônica. Entitulado como o "Arrasta pé da Fundação", o evento está sendo organizado e promovido pela Turma de Produção do turno noturno. Danças, músicas e comidas típicas fazem parte do arraial que começa por volta das 18h00 e vai até as 22h00. Todos convidados!



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 15h13
_____________________________________________________




Novo layout

Olá pessoal, o blog está de cara nova. O layout é simples, mas está legal. Temos também um mural de recados, comentários das matérias, dúvidas e mensagens devem ser enviados através do mural, os comentários foram desativados. O designer ficou por conta de Priscila Fabiana. Um abraço!



 - Postado por Adriano Castro - Locução Manhã às 14h37
_____________________________________________________




Show das Águas e Meio Ambiente 2009

                                  

Começa no próximo dia 02 e vai até dia 06 de junho de 2009 O Show das Águas e Meio Ambeinte 2009. O evento é realizado pela Fundação Rede Amazônica há oito anos, e nos últimos três anos aconteceu em municípios do interior do estado, voltando esse ano para Manaus. O local eleito para esta edição foi a Bacia do Tarumã-Açú, localizado no Clube da Aseel( Av. Tarumã s/n, km 06. Próximo ao Sivam). O evento iniciará no dia 02/06 com o Fórum Científico às 09h00 com  palestras sobre as "Atividades econômicas do Rio Tarumã-Açu" tendo como temas para debates mineração, polo industrial II, transporte aéreo, turismo, abastecimento de água e esgotamento sanitário na área de influência da Bacia, que serão ministradas por Daniel Nava. No período da tarde Nelito Marques da Silva fala sobre "Usos dos recursos hídricos na Bacia do Rio Tarumã-Açú" e debaterá sobre o licenciamento ambiental, navegação, sistema de ensino, recursos hídricos  e saúde em Manaus Tarumã-Açú, alternativas agro ecológicas sustentáveis de uso da terra e projeto aquaBio. O evento contará ainda com oficinas pedagógicas para professores da rede estadual e municipal de ensino nos dias 03 e 04/06. Já no dia 06/06 acontece o encerramento com caminhadas, canoadas, mostra de trabalhos das escolas: danças, teatros poesias e músicas. O encerramento fica com o show musical da Banda Embaúda. As informações são da produtora de eventos da Rede Amazônica Martha Arruda.



 - Postado por Adriano Castro-Locução Manhã às 12h16
_____________________________________________________